Por Lucas Canosa

Foto: Lucas Canosa
Foto: Lucas Canosa

Há muito tempo não existe mais essa conversa de que idoso deve ficar em casa, descansando, cozinhando e costurando, não é? Agora, o pessoal da “melhor idade” está muito mais ativo do que outrora. Você, por exemplo, consegue imaginar senhores praticando capoeira? Em Guarulhos, isso acontece.

A fisioterapeuta, especialista em ortopedia e traumatologia, Jéssica Calil ingressou na capoeira com 10 anos de idade, hoje tem 24. Em 2014, ela entrou para o Capoeira Luanda e, por necessidade de entregar o seu TCC na faculdade, surgiu a ideia de dar aula para idosos. ” Uni as duas coisas que mais gosto de fazer: capoeira e fisioterapia, assim, desenvolvi um projeto buscando a qualidade de vida dos mais velhos. Em seguida montei um novo trabalho na pós graduação, objetivando melhorar a força muscular, a flexibilidade e a qualidade do sono dos mesmos, obtive sucesso, eles adoraram as aulas e alguns tinham vontade de continuar, aí trouxe o trabalho para Guarulhos”, disse.

Os alunos com mais de 50 anos, comparecem às quartas e sextas-feiras, às 15h, para uma aula de capoeira com Jéssica. “Ela não só ensina os movimentos do jogo”, garante Ninja, de 66 anos: “Sempre temos lição de casa. A gente pesquisa os mestres, assiste vídeos e, então, apresentamos resumos do que estudamos”, concluiu.

Para Jaime, de 58 anos, a atividade não foi só uma questão de lazer. “Eu tenho diabete. Comecei a prática e me ajudou a controlar, além disso, perdi peso e minha disposição melhorou muito”, relatou.

Nada se resume aos movimentos de capoeira. Jéssica liga o rádio com um CD de músicas utilizadas no jogo, leva um berimbau e os paus usados para o maculelê, dança típica africana, também muito praticada pela professora durante as aulas. Ela conta que no começo era muito mais complicado aplicar seu método com os alunos. “Eles tinham medo. Aquela limitação psicológica, sabe? Ah, não sei fazer isso e depois acabam fazendo”, afirmou.

Para dona Arlete, de 55 anos, os exercícios físicos são essenciais na terceira idade. “A flexibilidade aumenta muito”, comemora. Ela tem razão, no Brasil, a população idosa tem crescido frequentemente, muito devido à conscientização frequente de uma vida saudável, com atividades, somadas à boa alimentação.

Foto: Lucas Canosa
Foto: Lucas Canosa

A professora comenta que procura um patrocínio para estender o projeto. “Hoje cobramos R$ 60 mensais de cada um. Um parceiro ia ajudar muito a gente”, pondera. Quem quiser conhecer mais do projeto Capoeira Luanda e participar das aulas, é só comparecer à Rua Iris, 224, no bairro do Gopoúva. 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s